Blog

Acompanhe as postagens do Cuidar Idoso.

Especialista orienta sobre como envelhecer com qualidade

Especialista orienta sobre como envelhecer com qualidade


Os brasileiros estão vivendo mais. Uma pesquisa divulgada em dezembro do ano passado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que a expectativa de vida de quem nasceu no País em 2015 é de 75,5 anos, ante 75,2 anos dos que nasceram em 2014. Para se ter uma ideia, em 1940 a esperança de vida no Brasil era de 45,5 anos.
 
Viver mais, porém, não necessariamente significa viver melhor. Por isso, com mais tempo para aproveitar a velhice, os idosos devem ficar atentos a cuidados básicos que, tomados de forma disciplinada, ajudam significativamente a melhorar a qualidade de vida. Aliás, a regra não vale somente para quem está na terceira idade. "A qualidade de vida do idoso não depende somente das ações quando ele é idoso. Quanto mais cedo a gente começa a ter hábitos saudáveis, melhor a gente termina", alerta o geriatra Adson Passos.
 
Isso significa que as dicas válidas para quem já passou dos 60 anos são úteis também para quem ainda não chegou lá. Ou seja, a pessoa que adota boas práticas ao longo da vida terá mais facilidade para mantê-las na velhice, além de colher os frutos das ações tomadas na juventude e na vida adulta.
 
Sempre ativo
 
Manter-se ativo é uma espécie de mantra que deve ser seguido por quem quer garantir a qualidade de vida na terceira idade. Isso é válido em várias esferas, como a social, a profissional e a física. Na primeira delas, por exemplo, a atividade constante é uma maneira de evitar a depressão. "Muitos idosos começam a sofrer um isolamento social", comenta o médico.
 
Trabalhar é outro dos "segredos" da qualidade de vida na terceira idade. Neste caso, vale colocar a mão na massa tanto formalmente, num emprego, quanto informalmente, praticando atividades diversas ao longo do dia. "A gente já nasce pensando em parar. É importante ter um trabalho que ocupe a cabeça, não deixe a pessoa se sentir inútil", afirma Adson.
 
As atividades físicas, por sua vez, também são fundamentais. O recomendado é pelo menos 30 minutos por dia, cinco dias por semana. A prática diminui o risco das mais diversas doenças e, naturalmente, garante mais disposição para o dia a dia. "Aumenta a independência do idoso", resume o geriatra.
 
Fé na vida
 
Além dos três pontos citados, há outras medidas importantes que podem ser tomadas para melhorar a qualidade de vida. Uma delas é a alimentação saudável, que inclui evitar bebidas alcoólicas, cigarro e excesso de carboidratos. "Não se submeta a dietas da moda", aconselha o médico. Ele também lembra da importância de se evitar a automedicação, mesmo no caso de produtos naturais.
 
O geriatra recomenda ainda que o idoso tenha fé, independentemente de qualquer religião ou crença. "Desenvolva algum tipo de espiritualidade", indica, lembrando pesquisas e estudos que mostram que pessoas espiritualizadas, via de regra, vivem melhor.
 
O próprio acompanhamento com um geriatra faz parte dos cuidados que garantem a qualidade de vida. Ainda que a pessoa tenha um problema específico de saúde que necessite de um especialista (um cardiologista para tratar do coração, por exemplo), é o geriatra quem pode fazer indicações aos mais variados médicos e tratar do paciente como um todo. "O geriatra é um gerente da saúde do idoso", resume.

O CUIDAR IDOSO não se responsabiliza, nem de forma individual, nem de forma solidária, pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es).

Fonte: Jornal Cruzeiro